2009-01-03

Escuta o que digo
e nunca me oiças:

         Imagina apenas
         que a nossa existência
         é o nosso abraço único

E
não permitas
que abandone o Sonho:

         Prescindir
         de mim
         no Teu encontro


(*) Em "Poemas Sem Som", 1985
(**) Obrigado, Pecado, por me relembrares a juventude.

2 comentários:

pecado disse...

1985... andamos a sonhar alto!

Artur disse...

Ou baixinho. Mas pelo menos sonha-se. :-)